Emprego

COMPARTILHE

Refugiados querem trabalhar e evoluir em Manaus

Venezuelanos lideram demanda por carteira de trabalho no AM

Por Andreia Leite IG @andreiasleite_TT @JCommercio

28 Ago 2019, 17h54

Crédito: Divulgação

A SRTE-AM (Superintendência Regional de Trabalho e Emprego no Amazonas), indica que houve um aumento no número de emissão de CTPS (Carteiras Carteira de Trabalho e Previdência Social) destinadas a refugiados venezuelanos no primeiro semestre deste ano. O grupo lidera uma média 90% no número de solicitação do documento.

No mesmo período do ano passado, 2.782 CTPS foram expedidas. Este ano, a emissão do documento já chega a 4.568, um aumento de mais de 100%. O superintendente do órgão, Gilvan Motta, prevê que os números de solicitações devem dobrar até o fim do ano, chegando a aproximadamente 10 mil CTPS’s emitidas. 

Para ele, a crise na Venezuela e a modalidade de visto de entrada concedido que possibilita a emissão da CTPS e reflete na alta demanda pelo documento. 

Os dados acompanham o resultado do Relatório Anual do Observatório das Migrações Internacionais, divulgado na quinta-feira (22), pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública, que revela que imigrantes venezuelanos no mercado formal superou o total  registrado durante todo o ano passado. O relatório indica ainda que mais de 30 mil imigrantes foram inseridos no mercado de trabalho no país em 2018. Os venezuelanos no Brasil foram os destinatários de 68,4% das 36.384 carteiras de trabalho expedidas a refugiados pelo governo no ano de 2018. 

No Amazonas, muitos venezuelanos acolhidos no mercado de trabalho têm sido inseridos no mercado formal. Somente a Semtepi (Secretaria Municipal do Trabalho, Empreendedorismo e Inovação) de janeiro a julho deste ano, cerca de 800 venezuelanos foram inseridos no mercado de trabalho ou conseguiram alguma oportunidade trabalho na capital. Embora muitas vagas que exerçam não sejam nas suas áreas, o órgão, por meio da Prefeitura de Manaus, tem incentivado a contratação desses profissionais que estão disponíveis para ocupar o posto de trabalho, ocupando funções que muitas vezes é rejeitada por outros profissionais. 

A Prefeitura de Manaus por meio da Semtepi, tem fortalecido essa  capacitação e vem se preocupando muito com o número de desempregados na cidade, sejam brasileiros ou estrangeiros. “Devido a necessidade de preencher a demanda de vagas com profissionais capacitados e dentro do perfil solicitado pelos empreendedores, temos investido forte em qualificação profissional e empreendedora para que possamos ocupar as vagas de emprego disponíveis, bem como para que a população possa ter uma nova forma de emprego, criando seu próprio negócio e abrindo novas oportunidades de emprego a comunidade Manauara”, disse o gestor do Sine/Manaus, Ismael Carlos. 

Oportunidade

Essa dinâmica na contratação de venezuelanos traz um grande diferencial para o ambiente de trabalho. O diretor do Grupo ICTS, empresa de desenvolvimento tecnológico, Fernando Prestes, emprega dois venezuelanos na equipe e conta que o forte comprometimento social, onde o principal ponto de destaque é uma plataforma de acessibilidade observa uma oportunidade de auxiliar pessoas que estão necessitando de oportunidades, somado ao fato de contratar profissionais qualificados. 

Ele deu a oportunidade para um engenheiro mecânico e um engenheiro eletrônico, ambos  com um esforço muito grande para fazer o diferencial. “Entendemos este tipo de trabalho é uma grande oportunidade para eles, e ao receber esta oportunidade, eles dedicam em fazer um excelente trabalho”. 

Seguindo a mesma linha, Thays Barreto, proprietária da Nutrevida, considera positiva esta inserção, já que se trata de pessoas que estão em busca de oportunidade no mercado mesmo longe de seu país, dando o melhor de si para conquistarem seu espaço. “Eles estão em busca de voltarem ao mercado, de recomeçarem suas vidas, isso lhes dão um gás a mais em relação aos outros na atividade que exercem”. 

Ela lembra que não estava encontrando alguém que tivesse interessado na vaga a ponto de se dedicar, e surgiu ideia de dar oportunidade para quem precisava e estava disposto a trabalhar da forma correta.

Setores

A especialista em RH, Cíntia Lima, observa que o mercado de serviços tem absorvido esses profissionais. “Os venezuelanos têm recebido oportunidade de emprego e tem agarrado.  Então, eles demonstram comprometimento, responsabilidade, cumprimento de regras e cordialidade”. E, conforme a especialista, isso é positivo. Porque eles pegam o trabalho como uma grande oportunidade de retomada na vida. Isso tem feito com que um estabelecimento indique e recomende esse tipo de contratação e também tem gerado bastante crescimento, além da chegada de datas alusivas, como a Black Friday, que ajuda o mercado a captar essas contratações com empregos temporários. 

Segundo dados da Semtepi, diversos setores econômicos dão acesso ao mercado de trabalho para imigrantes venezuelano como indústria, varejo, construção, agricultura. Entre os cargos estão agente de coleta, auxiliar de manutenção predial, eletricista e auxiliar de logística.

Por dentro

Segundo informações da Agência Brasil, o relatório revela ainda que, nos primeiros seis meses de 2019, que outro grupo com destaque no primeiro semestre deste ano é o de haitianos. Eles responderam, em 2018, pelo maior número de movimentação (admissões e demissões) de trabalhadores imigrantes no mercado formal.

Segundo o Ministério da Economia divulgou em fevereiro deste ano, durante todo o ano passado foram emitidas 5.084.515 novas CTPS, sendo 4.999.502 de carteiras para brasileiros e 85.013 para estrangeiros. O resultado total representou um aumento de 5% em relação a 2017, quando 4,8 milhões de trabalhadores receberam o documento.




 

Veja Também