Opinião

COMPARTILHE

O poder do subconsciente

Pesquisas recentes, feitas na Rússia, comprovam cientificamente a eficácia das afirmações

Por Faber Num

07 Fev 2019, 10h06

Crédito: Divulgação

O livro “O Poder do Subconsciente” se fundamenta, essencialmente, nas práticas de comando , minutos antes de adormecer — segundo o autor — nestes momentos   a resistência  da mente subconsciente é pouca, assim sendo este seria o instante crucial para fixar uma ideia . A questão fundamental, dos ensinamentos, seria o esforço para que o subconsciente aceitasse a ideia, não obstante, depois de aceitá-la o processo ficaria por conta dele. Conforme Murphy o subconsciente  aceita passivamente as palavras que lhe são direcionadas , jamais fazendo distinção do que é benéfico ou maléfico, apenas obedece às ordens, portanto, cuidado com os tipos das afirmações feitas para si mesmo ou para as pessoas próximas. Esta hipótese lembra uma frase de Henry Ford “Se você pensa que pode ou se pensa que não pode, de qualquer forma você está certo” .

As afirmações podem transformar a realidade. A mente consciente é responsável pelas habilidades como raciocínio, análise, memória de curto prazo e ações como as tomadas de decisões, julgamentos e  críticas; por sua vez a mente subconsciente cabe-lhe as funções vitais do corpo, os hábitos, as emoções, as memórias de longo prazo, as crenças, e, mais ainda, a criatividade, intuição e a fé. Objetivando uma compreensão do tema seria oportuno o uso de uma analogia: o jardim  seria o subconsciente e as sementes o consciente — em síntese — se plantamos maus pensamentos colhemos maus resultados ou se plantamos bons pensamos colhemos bons resultados.

Segue algumas formas para mudança do comportamento mental: primeiro mantenha distância das coisas negativas — preocupações, medos, raivas — , segundo substitua os pensamentos negativos pelos positivos e terceiro faça afirmações  ao subconsciente com visualizações das metas como se as tivesse concretizado. O horário ideal é minutos antes do sono e após despertar . Outra obra recomendada é “O poder da Oração” que reinterpreta “O Livro das Revelações de São João”, com novos horizontes, e, ainda conjuntamente, ensina os benefícios da oração científica.

Joseph Murphy morreu aos 83 anos de idade no ano de 1981. Escreveu mais de 30 livros. Tinha o título de PhD em psicologia. Nasceu na Irlanda.  Seus pais eram católicos, motivo que o levou ao seminário da Ordem Jesuíta, objetivando o sacerdócio. Abandonou o seu propósito. Nos Estados Unidos atuou como farmacêutico. Como tinha uma predisposição para os estudos se empenhou nas pesquisas  filosóficas e humanitárias como o direto e a religião, as ciências como farmacologia e a química. Incorporou-se a Igreja de Ciência Divina onde exerceu o ministério na cidade de Los Angeles, cujas bases doutrinárias eram fundamentadas no “Movimento Novo Pensamento”, trata-se de um movimento espiritual ocorrido no final do século XIX. Este era uma mistura de ciência e religião. No seu leito de morte, Joseph Murphy,  recomendou que lhe desagradava a publicação de um livro sobre sua vida, os motivos para o pedido permanecem desconhecidos.

Pesquisas recentes, feitas na Rússia, comprovam cientificamente a eficácia das afirmações, recitações de mantras e orações no tratamento de doenças, nas expansões da inteligência. Os estudos se referem à reprogramação  do DNA por meio de palavras e frequências de som. É evidente o conhecimento, que as agências de publicidade possuem sobre o efeito das sugestões no ser humano, tanto é que não abrem mão do uso das chamadas mensagens subliminares para a venda de produtos. Dessa forma as práticas do Dr. Joseph Murphy são ferramentas eficazes na luta em defesa da relação do homem consigo mesmo e do mundo que o cerca. É necessário, no entanto, fazer uma distinção entre os eventuais exageros ocorridos nos ensinamentos do Dr. Murphy, só para ilustrar,  em um dos seus livros com título “1001 maneiras de enriquecer” há vários relatos sobre o uso da lei de atração com o propósito de enriquecer, embora,  “nem tudo são flores” quando se trata do acumulo de riquezas, existem outros valores mais importantes para ensinar as futuras gerações como os éticos, morais e espirituais, do que o incentivo ao acumulo de bens materiais. Além do mais enriquecer depende de vários outros fatores, os quais muitas vezes, independem das habilidades pessoais e das afirmações ao subconsciente.

                  

Veja Também

Artigo

Carreira é mais que status

07 Feb 2019, 10h04
Artigo

Mudanças climáticas - Parte 2

07 Feb 2019, 10h28
Artigo

Os venenos cerebrais

09 Feb 2019, 18h53