Varejo

COMPARTILHE

Modalidade de cartões pré-pagos cresce no varejo amazonense

Por Andréia Leite

09 Out 2019, 06h53

Crédito: Divulgação

No Amazonas, o uso do cartão pré-pago, modalidade em que o usuário carrega com dinheiro antes de ir às compras cresceu este ano 7%. O levantamento é da Acesso, empresa especializada em meios de pagamentos digitais. Dados também mostram que 54% das compras são realizadas na internet, enquanto 46% são feitas em lojas físicas.

As transações financeiras com cartões pré-pagos movimentaram mais de R$ 3 bilhões no primeiro semestre deste ano, um salto de 58,8% em relação ao mesmo período de 2018, segundo sondagem da Abes (Associação Brasileira das Empresas de Cartões de Crédito e Serviços (Abecs).

O cartão  dá acesso a uma série de serviços financeiros que um banco normal oferece, mas com a vantagem de não exigir do usuário comprovação de renda ou análise de crédito. 

A praticidade em termos de controle e de acesso ao uso para terceiros são uma das vantagens dos cartões pré-pagos.  Foram esses benefícios que atrairam a jornalista Islânia Lima aderir a modalidade. Há dois meses ela disponibilizou para o filho a utilização do cartão para compras de jogos. Conforme a jornalista, ele que pesquisou e comentou com ela sobre a tendência. 

“No começo eu tive um pouco de dificuldade para efetuar as recargas. Entrei no site da empresa e lá eu descobri que eu o pagamento seria via boleto em débito em conta direto em agências específicas”.  E assim ela faz todo o fim do mês. Islânia garante que a aposta é uma ótima alternativa porque consegue gerenciar as compras do filho até o limite do crédito acabar. “Além do futuro para as novas gerações. É uma grande oportunidade para cada vez mais nós termos opções de como usar e controlar o nosso dinheiro”. 

Adepto há mais de um ano, o diretor executivo, Fábio Silveira, também surfa na onda dos cartões pré-pagos. Ele optou  pelo uso pois avalia que é mais prático o controle e gestão do seu dinheiro. Além das muitas vantagens que ele considera serem atrativas. 

“Recargas livres de tarifas (acima de R$500), a manutenção mensal é de apenas R$ 5,95 e só é cobrada quando há saldo no cartão, não fica negativo”.

Ele também concorda que a modalidade traz conveniência e praticidade. “Uso em praticamente tudo, recarga de metrô e ônibus (São Paulo), créditos no smartphone, compras on-line pelo mundo todo”. Ele também diz que já usou  praticamente todas as moedas. Em dólar, euro, libra e renminbi, compras físicas nacionais e internacionais, assinaturas de serviços (pagamento recorrente, não parcelado) como Deezer, Spotify, Xbox-one, Google Play, Academias, Internet, Netflix. É uma infinidade de serviços”. 

Conforme a Acesso, o cartão pré-pago surge como opção democrática que desburocratiza a relação do usuário com o dinheiro: por ele, qualquer pessoa pode abrir uma conta e utilizá-la em menos de dez minutos, sem comprovação de renda ou análise de crédito.

Entre as categorias de gastos no pré-pago mais comuns feitas pelo amazonense estão supermercados (14%), alimentação (18%), combustivel (10%) e roupas (8%).

O levantamento aponta que perfil do cliente dos pré-pagos é bastante variado na capital do Amazonas. Ele tem, em sua maioria, entre 26 e 35, contabilizando 29% do total de usuários. A faixa etária dos 41 a 50 anos também é representativa, correspondendo a 19% da base. Além disso, o usuário da cidade gasta, em média, R$112.57 por mês com o cartão.  

Para o CEO da Acesso, Davi Holanda, Manaus é um importante centro de compra, não só para a região Norte, mas para todo o país. O uso do cartão na cidade mostra que o amazonense busca alternativas para simplificar sua relação com o dinheiro.

“Só com o pré-pago você tem acesso a todos os serviços de um cartão com bandeira mastercard sem precisar passar por nenhum processo burocrático ou comprovação de renda. Ele é simples, e por isso que funciona tão bem: para sair usando, basta carregar. Além disso, ele é aceito em lojas de rua, e-commerce ou serviços online. Um cartão completo e feito para todos os bolsos”, explicou Davi Holanda.

Os cartões podem ser encontrados na internet, através do e-commerce, ou dos 20 pontos de venda e recarga espalhados pela capital.

Pensar antes de contratar

Os cartões pré-pagos surgiram para captar uma nova fatia de mercado, quem avalia é o economista Eduardo Souza. Eles são bem-vindos para as pessoas que querem ter um controle mais rígido de gastos, que possuem restrições financeiras mais baixas, que não estão dispostas a pagar por altas taxas de cartões e que tem certeza que não terá condições de extrapolar os limites. Ele também surge como parceiro para atender os pais na educação financeira dos filhos porque consegue fazer uma recarga e supervisionar os gastos que são regrados.

Mas também pode ser o vilão de quem pratica gastos desenfreadamente. “Não importa se o consumidor utiliza cartão pré-pago ou um cartão com limite se não tiver conhecimento sobre educação financeira ele não vai sabê-lo aplicar da forma adequada”. O economista  aconselha que antes do uso dessa modalidade a pessoa entenda sobre educação financeira. Desta forma, a modalidade de cartão se torna um bom meio para atingir o fim que é o custo-benefício das suas compras e conseguir realmente avaliar as suas aquisições de bens e serviços evitando surpresas negativas no fim do mês. 

Veja Também