Tecnologia

COMPARTILHE

Game, inovação e criatividade nas mãos de estudantes, em 48 horas

O Global Game Jam busca reunir em seus participantes, três elementos: criatividade, colaboração e experimentação

Por Evaldo Ferreira

21 Jan 2019, 19h09

 

Competir não, mas cada participante colaborar um com o outro. Este é o objetivo da 11ª edição do Global Game Jam, que acontecerá entre as 17h do dia 25, sexta-feira, até as 17h de domingo, 27, em 90 países, em Manaus, no Samsung Ocean Center, localizado na Escola Superior de Tecnologia da UEA (Universidade do Estado do Amazonas), na av. Darcy Vargas, onde evento acontecerá pela terceira vez.

“Nessas três edições temos disponibilizado 60 vagas para os participantes, mas sempre abrimos exceção para alguns que aparecem no dia, querendo participar. De repente é um gênio da criação de jogos. Quem sabe?”, brincou Jucimar Maia da Silva Júnior, professor de computação da UEA e coordenador do evento na capital amazonense.

O Global Game Jam busca reunir em seus participantes, três elementos: criatividade, colaboração e experimentação. Em cada local os participantes se juntam, depois devem formar pequenos grupos e desenvolver idéias, buscando novos jogos que sejam criativos e inovadores para, então, apresentá-los aos seus colegas da comunidade global. Tudo isso precisa ser feito num período de 48 horas.

É o maior evento de criação de jogos do mundo, e acontece em escala mundial. É focado no desenvolvimento de jogos com o objetivo de unir, desenvolver a criatividade e compartilhar experiências, incentivando as pessoas a participarem e contribuírem para a disseminação global do desenvolvimento de jogos.  

O primeiro Global Game Jam foi realizado de 30 de janeiro à 1 de fevereiro de 2009, em 53 locais de todo o globo. Durante aquele Jam, 1.650 participantes criaram 370 jogos. Ano passado, 108 países realizaram o evento com a participação de 42.800 ‘jammers’, e criação de 8.606 jogos.

“Este ano a UEA/Samsung Ocean participará mais uma vez do Global Game Jam. Os 60 inscritos já estão preparados e, como disse antes, até a hora do início, aguardamos outros participantes”, revelou Jucimar.

             As três características         

“Os participantes precisam ter acima de 18 anos. Limite de idade não existe, enquanto eles tiverem criatividade para ser explorada”, disse.

“O participante precisa ter ao menos uma das características seguintes: saber desenhar (para criar os personagens dos jogos), ser programador de computação (para fazer o jogo), e jogador experiente (game designer) para saber qual tipo de jogo é o preferido da maioria dos jogadores”, adiantou.

“Como é quase impossível alguém reunir essas três características, é aí que há a necessidade de formação de um grupo e o trabalho em conjunto”, ensinou.

O evento começará, em Manaus, exatamente às 17h de sexta-feira, dia 25, o mesmo acontecendo simultaneamente em todo o mundo, para evitar que alguém ‘saia na frente’ dos demais participantes. É dado um tema pelos organizadores e o brainstorm tem início. “Em 2017 o tema foi Ondas. No ano passado, Transmissão. Lembro que um dos jogos tinha a ver com transmissão de pensamentos. Vale tudo”, falou.

“Aqui na UEA/Samsung Ocean é a reunião inicial. Aqui eles se organizam, discutem o tema, dão idéias e sugestões. Lá pelas 20h, vão para casa, não para descansar. Aí é que vão começar a trabalhar. Eles viram a noite, cada um dentro da sua característica citadas anteriormente”, explicou.

“Na manhã de sábado, alguns grupos costumam vir aqui para a UEA/Samsung Ocean, para novas discussões, e depois voltam para casa, para continuar o trabalho. Ninguém dorme nessas 48 horas, mas todos se divertem”, garantiu.

“Às 17h de domingo todos os participantes já estão aqui na UEA/Samsung Ocean para apresentar seus jogos prontos. O objetivo do Global Game Jam não é ter um vencedor, mas apresentar seu jogo para o mundo. Muitas empresas do segmento ficam de olho nesses jogos e podem comprá-los, se forem inovadores”, garantiu.

            Novo e crescente segmento

“Outra consequência do evento é a criação de start ups pelos participantes. Na UEA/Samsung Ocean temos duas start ups criadas por alunos, a Dream Kids e a Ludic. Lá eles hospedam seus jogos, disponibilizados para a venda para jogadores do mundo todo. Tem também a Steam Virtual, a maior loja virtual de jogos, que costuma comprar os melhores apresentados no Global Game Jam, ou seja, mais do que se divertir criando jogos, os participantes se tornam empreendedores desse novo e crescente segmento que são os jogos virtuais”, concluiu.

O Samsung Ocean Center é um projeto da UEA e tem como missão a capacitação tecnológica e fomento ao empreendedorismo. O local oferece gratuitamente capacitação técnica combinada com temas relacionados à usabilidade e empreendedorismo, além do contato com especialistas da empresa e do mercado durante todo o ano.

 

Veja Também