Opinião

COMPARTILHE

Fortalecer

Lula denominado "sapo barbudo" bem como supostamente "pai dos pobres" não passa de um presidiário

Por Alfredo Andrade

09 Ago 2019, 12h18

Crédito: Divulgação

Há décadas que vimos surgir no cenário político personagens lendárias, pitorescas e até “salvadores da Pátria”; alguns decorrentes de um marketing ilusório e outros produtos da mídia enganosa, que só serviram para iludir os incautos eleitores. Exemplos desses descalabros foram Collor, Lula, Dilma (denominada de poste e outros adjetivos que beiram a vulgaridade) e numa escala bisonha tivemos o “biro-biro”, o “tiririca” etc. Porém, a população criara outros como FHC e agora Bolsonaro que já recebera o apelido de “mito”, bem como o Ministro Moro chamado de “herói”.

Os mais antigos foram personagens, ou seja, figuras míticas fruto de um imaginário como fora Jânio Quadros, conhecido pela música “varre, varre, vassourinha”. Lula denominado “sapo barbudo” bem como supostamente “pai dos pobres” não passa de um presidiário conhecido hoje como “chefe da corrupção”, destruidor dos cofres públicos, enganador dos miseráveis e para muitos o “traidor da Pátria” por ter comandado o maior escândalo de assalto aos cofres públicos da Nação. Assim, como triunfara no imaginário dos pobres sente agora o abandono e a desilusão, decorrentes de sua ganância, irresponsabilidade e menosprezo para com os verdadeiros seres humanos que somos todos NÓS, os brasileiros de verdade.

Se o sopro renovador “anticorrupção” fizera nascer o “mito” e o “herói”, aspectos patrióticos; nada  afastará a Nação de um futuro onde as oportunidades serão para todos e não apenas para quem pertence a este ou aquele partido. A corrupção dilapidara nosso patrimônio, mas a divisão entre o “Nós contra Eles” fora o maior dos males, por ter gerado o ódio. Foram sórdidos ao implantar o “divide et impera”; ao incutir nos jovens um socialismo fracassado em Cuba e na Venezuela; e uma tentativa de transformar nossos jovens universitários em comunistas. Nunca retiraram nenhum miserável da pobreza e nem reconhecem o mal que fizeram ao País... E às vésperas de cada eleição ameaçavam retirar o bolsa-família.  Quanta torpeza, quanto mal e quanta infelicidade, além de gerações perdidas.

Hoje não se admite mais nenhuma visão deturpada dos fatos que circulam com rapidez, não se permitindo que o ser humano fique estagnado no tempo, até porque o caudaloso rio denominado “VIDA” o empurrará para a busca pelo conhecimento sempre em constante evolução. Pela primeira vez temos políticos do colarinho branco na cadeia... a verdade e o caminho da Paz estão sendo encontrados, bem como uma luz no fundo do poço  porque temos uma PÁGINA VIRADA em nossa história...

*Alfredo Andrade é ex- Conselheiro Federal nos Triênios 2001/2003 e 2007/2009 - OAB/AM A-29   



 

Veja Também

Artigo

Seguro morreu de velho

09 Aug 2019, 12h15