Construção

COMPARTILHE

Ferramenta adotada pela Prefeitura de Manaus traz economia às obras

Por Andréia Leite

18 Jul 2019, 12h31

Crédito: Marinho Ramos/Semcom

A  Prefeitura de Manaus iniciou a implantação de uma plataforma que vai dar velocidade e economia às obras da capital. As secretarias municipais de Finanças e Tecnologia da Informação e o Implurb (Instituto Municipal de Planejamento Urbano) serão parceiras dentro do processo. Desenvolvido nos Estados Unidos e aplicado em diversos países, o sistema vai unificar procedimentos de aplicação do método BIM (Building Information Modeling) ou Modelagem da Informação da Construção para obras realizadas ou viabilizadas por todas as instituições, empresas e órgãos. 

Com o sistema, a Prefeitura de Manaus estima uma redução em torno de 15% a 20% com o valor das obras da prefeitura, além da gestão do tempo e do projeto. Já que apresenta precisão e evita erros de cálculos. O investimento na implantação é de R$ 2,5 milhões. 

O arquiteto e consultor que trabalha com a plataforma BIM, desde 2003,  Evandro Queiroz Longo, explica que é algo inovador. Ele é armazenado em modelos tridimensionais e inteligentes. É um modelo que guarda todo tipo de informação. Garantem redução de erros, maior assertividade ao longo do projeto de construção. “BIM é construcao virtual, é como o modelo vai ser construído. Os objetos detêm informações sobre outros objetos. Além do usuário ter a possibilidade de alterar as medidas ele traz muitas outras possibilidades”. 

O usuário tem a possibilidade da alteração das medidas, dentre outras possibilidades. Os modelos 3D BIM de edificações e instalações são desenvolvidos a partir de objetos virtuais, que correspondem aos componentes previstos e necessários para a futura construção real.

Vale lembrar que é  possível inserir e gravar novas informações nos próprios objetos, que funcionam como contêineres de dados ou pastas de arquivo de informações. É possível dessa maneira que os softwares operem como gerenciadores de bancos de dados. 

Para  Evandro Queiroz, os principais benefícios são os avanços nas secretarias em termos de projetos. Conforme apresentação, o usuário pode  manipular, girar, dar zoom, ligar e desligar partes e tipos de componentes; sejam tabelas, por exemplo, das quantidades de componentes inseridos num modelo. Há ainda a possibilidade de simulação, por exemplo, de eficiência energética da edificação que está sendo concebida.

Na plataforma também é possível discriminar  materiais, o atendimento de Normas e outras informações importantes para a especificação e para o desempenho da construção.

Segundo o diretor de vendas da Autodesk no Brasil, João Fernandes, empresa desenvolvedora da plataforma, a cidade de Manaus se destaca com a inovação tecnológica. “A metodologia garante que a cidade se torne case para outras prefeituras e nos dá a expectativa de que ela seja apresentada no próximo Congresso Mundial da Autodesk, em Las Vegas”, declarou Fernandes.

O secretário municipal de finanças da prefeitura, Lourival Praia, explica que além do retorno significativo para o município, a plataforma traz diversas soluções onde será possível acompanhar os projetos a serem elaborados pelos engenheiros e fazerem simulações e interações com imagem do cotidiano da capital. E que a metodologia vai reduzir até  40% na economia de projeto. Ele enfatiza a desburocratização de propostas  e a otimização do tempo. Além de ressaltar que ao projetar um viaduto, dentro da elaboração do projeto de engenharia você pode fazer simulações e projeções o que reflete na redução no valor das obras. “É uma solução não apenas para custos, mas para planejamento urbano”. 

Para a secretária municipal da Mulher, Assistência Social e Cidadania, Conceição Sampaio, a iniciativa vai representar  investimento vai trazer para a cidade o planejamento urbano que a cidade precisa. Essas transformações só acontecem através de implantação de ferramentas inovadoras. “O prefeito tem buscado justamente isso. Uma gestão que prepara a nossa cidade para as futuras gerações. E o caminho é esse, fazer investimentos que possibilite a chegada do futuro e dar mais qualidade de vida a população do Amazonas”. Eu não tenho dúvida que essa ferramenta dá continuidade a gestão que se qualifica, se prepara e dar respostas positivas aos pais em todos os setores. Uma cidade inclusiva se forma,  trazendo a tecnologia para dentro da gestão”. . 

O diretor-presidente do Implurb, engenheiro Cláudio Guenka, endossa que é a implantação da ferramenta é um projeto que vai dotar  as secretarias de ferramentas disponíveis para modernização. “Manter uma cidade organizada não só economicamente, mas financeiramente e em termos de infraestrutura é muito positivo. Traz ainda oportunidade para o aprimoramento profissional e das nossas secretarias”. 

Além da implementação do BIM, haverá a implantação de Solução de Gestão e Automação Colaborativa de Projetos de Arquitetura, Engenharia e Construção. 

Veja Também