Empreendedorismo

COMPARTILHE

Empreendedorismo cresce nos bairros com microfranquias

Passagens aéreas são vendidas na Vai Voando em até 12 vezes, no carnê e sem comprovação de renda a pessoas com dificuldade de crédito

Por Antonio Parente

09 Abr 2019, 09h30

Crédito: Divulgação

Com o objetivo de conquistar o consumidor da classe C e D, agência de viagem Voe Voando, empresa do grupo Flytour, foca  ações para estimular o empreendedorismo em público de centros comerciais populares da cidade. A ideia é atrair e fidelizar camadas da população de comunidades periféricas de Manaus a investirem em um modelo de negócio de fácil acesso e rentável.

Por meio de ofertas onde são vendidas passagens aéreas em até 12 vezes, no carnê e sem comprovação de renda a pessoas com dificuldades de créditos. A empresa visa ser porta de entrada no mercado para quem busca abrir o próprio negócio, facilitando a logística para adquirir a franquia com um investimento de até R$ 10 mil.

"O poder de consumo das classes D e E estava aumentando e várias empresas de diversos segmentos estavam  fazendo um trabalho focado nisso. No turismo não tinha nenhum movimento bem claro. As companhias aéreas tinham muitos voos com baixa ocupação e fazia com que o valor da tarifa aumentasse.  Entendemos que o caminho para continuarmos crescendo de forma consistente e sólida - dando segurança a toda nossa cadeia como os parceiros, revendedores e a própria empresa - era mudar nosso modelo para microfranquia”, explicou o diretor da agência Luiz Andreaza.

Segundo Andreaza, a empresa possui 350 pontos de venda em todo Brasil e 80 em Manaus entre franqueados e parceiros. Na capital amazonense, o número de vendas representam 35% do total e são realizados diretamente nos bairros da periferia da cidade.  

“É importante reforçar o tamanho e a representatividade do mercado em Manaus. O produto teve um encaixe perfeito, deu plenamente as características e necessidades do público local. Temos muita expectativa no potencial de expansão que os nossos serviços têm aqui. É uma rede de vendas que realmente está onde esse público vive e onde eles consomem, onde ele se reconhecem. São lojas com características mais simples, não são agências de viagens como estamos acostumados a ver ”, disse

Segundo dados do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) cerca de 60 milhões de brasileiros fazem 135 milhões de viagens interestaduais através de ônibus, das quais 30 milhões são de longa distância. Esse público concentra-se principalmente nas comunidades e periferias das capitais, encontrando grande dificuldade de acesso a crédito por meios convencionais e pontos de venda que sejam adequados ao seu perfil socioeconômico.

De olho nesse mercado e percebendo o crescimento do poder de consumo da periferia, a agência viu uma grande oportunidade de investimento.Luiz conta que além das passagens aéreas, a empresa oferece também hospedagem, com mais de 4 mil opções  no mercado hoteleiro.

“O vencimento ocorre até uma semana antes do embarque de acordo com o planejamento do cliente. Hoje 55% das nossas vendas são feitas na forma de boleto e 35% feito no parcelamento através de cartão de crédito  que pode ser fracionado em até três cartões. Geralmente o cartão de crédito é usado muito por pessoas que conhecem nossos serviços de última hora e não tem como planejar suas viagens”, explicou.

Emerson Ximenes investiu na microfranquia

Depois de passar 20 anos trabalhando no segmento de seguradora, Emerson Ximenes resolver trilhar novos caminhos em busca de estabilidade profissional. Após descobrir uma doença crônica do seu filho de 8 anos, viu que no antigo emprego não conseguiria recursos para mantê-lo vivo. Com isso, decidiu abrir o próprio negócio em parceria com a Vai Voando.

“O pâncreas dele parou de  funcionar e ele se tornou diabético tipo 1. Hoje ele tem que tomar de 3 a 5 injeções diárias. Graças a Deus essa porta se abriu.  Minha experiência na Vai Voando tem sido cada vez mais satisfatória, pois é uma empresa séria e comprometida com seus franqueados e clientes”, disse.

Há três anos trabalhando com a franquia, Ximenes explica que o mercado em Manaus tem apresentado grandes possibilidades de negócios e, conta que apesar da crise econômica que tem afetado o país nos últimos anos, o consumidor não tem abrido mão de viajar.

“Minha experiência na Vai Voando tem sido cada vez mais satisfatória pois é uma empresa séria e comprometida com seus franqueados e clientes, quanto ao potencial em nossa região é muito grande e em expansão. O mercado apesar de ter sido afetado pelo cenário atual do país, encontra-se em crescimento, e ainda há muito o que explorar”, disse.

Veja Também

Negócios

Amazônia terá passagens subsidiadas

12 Jun 2015, 00h00