Educação

COMPARTILHE

Educação a distância ganha mais mercado e amplia possibilidades

Por Andréia Leite

04 Mai 2019, 10h49

Crédito: Divulgação

O crescimento em ritmo acelerado nos números de alunos inscritos em cursos superiores nas instituições EaD (Ensino a Distância), evidencia que o formato  vem ganhando espaço e ditando novas alternativas para quem quer aprender com maior flexibilidade atrelado a custos mais baixos. De acordo com a Abed (Associação Brasileira de Ensino a Distância), as mensalidades podem ser até 64% mais baratas que o modelo de ensino presencial.

Uma das instituições que optou pelo modelo para oferecer a seus alunos é a Faculdade Martha Falcão | Wyden.. A faculdade atenua como principais fatores para o crescimento na demanda, a flexibilidade que a modalidade permite como adequação ao tempo do aluno que precisa trabalhar. A necessidade do mercado também onde o acesso à educação superior tornou-se obrigatório, além do advento da tecnologia.

Para a coordenadora dos cursos EAD da Faculdade Martha Falcão | Wyden,  Rose Jane Holanda, a resistência do mercado de trabalho em valorizar a qualidade da educação a distância já foi muito maior, hoje, é possível observar uma aceitação gradual.

Na opinião de Rose, para gerenciar um sistema de aprendizagem mesmo a distância, o professor precisa buscar formas inovadoras de passar o conteúdo. “A gamificação é uma delas, que criar engajamento e deixa os estudantes motivados”.

Segundo a coordenadora do curso o modelo de ensino é potenciado por candidatos que já estão no mercado de trabalho e que querem se aperfeiçoar seja por meio da primeira graduação ou de uma outra opção de curso, o que faz com que a idade e o perfil econômico seja variado. “Em todos os casos a questão do tempo é uma constante na tomada de decisão desses alunos”, disse.  

A modalidade EAD e a semipresencial da Faculdade Martha Falcão | Wyden prevê os mesmos pré-requisitos de um curso presencial como provas, apresentação de trabalhos, participação em fóruns e trabalho, estágio supervisionado, conclusão de curso ou relatório, dependendo do curso (bacharelado, licenciatura ou tecnólogo). Inclusive, o aluno dessa modalidade tem acesso aos mesmos benefícios do aluno presencial podendo freqüentar toda a infra-estrutura da instituição como biblioteca, cyber, entre outros como EnglishPro (curso de inglês gratuito), Academic Award (prêmio para melhores alunos com viagem para a Califórnia), bolsas internacionais e intercâmbios, além do acesso à biblioteca virtual com livros digitalizados, entre outros.

Na modalidade semipresencial ele pode tirar dúvidas com tutor que fica disponível três vezes na semana. Neste contexto, a principal vantagem deste tipo de modalidade é a flexibilidade na questão do tempo e o custo-benefício, uma vez que desenvolve habilidades e competências no mesmo modo do curso presencial. Além disso, o profissional formado por meio de um curso EAD Wyden tem diploma reconhecido.

Luana Coelho, gestora dos polos EAD da Faculdade Estácio de Sá, destaca que  a expansão do ensino à distância vem ocorrendo desde 2017, quando um decreto do Ministério da Educação, determinou que até 2024, as instituições de Ensino Superior facilitassem o ingresso de estudante do Ensino Médio em faculdades. A Faculdade Estácio conseguiu isso no Brasil, por meio da abertura de polos, espaços em que os alunos se dirigem apenas para realizar as provas. No Amazonas, ainda temos que crescer muito, porque é um Estado longínquo, diverso e com muita demanda. Até 2018, a Faculdade Estácio tinha apenas um polo principal, agora já conta com dois polos parceiros, um no bairro São José (Zona Leste), outro no bairro Presidente Vargas (Zona Centro-Sul) e um no município de Apuí. Nossa meta é lançar mais cinco polos no interior e minimizar as dificuldades de acesso à capital.

O preconceito com a educação a distância ficou para trás. “Nós já tivemos resistência no início. Hoje, todas essas barreiras nós conseguimos quebrar, através do nosso conceito. Comprovamos que o aluno formado nessa modalidade está preparado para o mercado de trabalho. E que a vida agitada das pessoas, exige que o conhecimento adquirido, seja de forma personalizada para não comprometer os compromissos diários da vida moderna”, pontua.

Todos os professores que ministram aulas na modalidade, ficam no Rio de Janeiro, conforme Luana Coelho, todos estão integrados  com as disciplinas, além disso, nos polos há um coordenador para orientar os alunos. A plataforma de estudos é totalmente interativa, possui vídeos e conteúdo didático.

Entre os atrativos, Luana Coelho destaca que o custo benefício é o melhor. Além do preço, flexibilidade e comodidade, não existe uma rotina obrigatória. A faculdade oferece de polos em todos os lugares do Brasil e o aluno poderá fazer as provas em qualquer uma das unidades.

Flexibilidade x tempo

A opção de ter mais liberdade e flexibilidade em relação ao tempo, foi crucial para a fonoaudióloga, Josefa Iara, 39, a estudante do EAD, no curso de neuropsicopedagogia, se diz aliviada com a escolha e confessa que as expectativas foram totalmente supridas em relação ao modelo de ensino. “Estou no final do curso. Foram dez módulos e agora o meu TCC. Temos inúmeras vantagens. Materiais selecionados em módulos e tive a oportunidade de ter, inclusive, mais tempo para ler e me aprofundar nos conteúdos”, destacou.

Fonoaudióloga Josefa Iara aponta vantagens

Motivada também pela flexibilidade do horário, economia de tempo o custo benefício a funcionária pública, Gilmara Lopes, 42, observou na oportunidade a necessidade de realizar uma graduação em que pudesse conciliar as atividades de casa e do trabalho. Cursando o 2º semestre do curso de Pedagogia, ela conta que é preciso muita dedicação, empenho e planejamento. Ela explica que é

utilizado um portal onde os professores e tutores postam as aulas, exercícios, vídeo aulas que podem ser vistos e revistos quantas vezes necessários. O portal possui um canal de comunicação onde os professores esclarecem as dúvidas dos alunos. As avaliações acontecem em três momentos: Uma avaliação online, mais  participação nos fóruns, entrega de trabalhos online, também com participação nos fóruns e uma avaliação presencial no polo.

O Centro Universitário Fametro oferece os cursos de Recursos Humanos e Logística 100% online desde 2018. Neste ano foi autorizado a portaria pelo MEC e atualmente temos 16 cursos entre 100% online e semipresencial, sendo eles oferecidos na capital e nos municípios de Manacapuru, Itacoatiara, Tefé, Parintins, Coari e Tabatinga, iniciando as aulas no dia 12 de agosto.

A pró-reitora da instituição, Cinara Cardoso, confirma que demanda tem sido grande por conta de potenciais alunos que trabalham em fábricas, em empresas de varejo e daqueles que não tem tempo de participar em aulas presenciais. Com isso, não terão seu tempo de trabalho comprometido e nem a convivência com a família. O aluno administra o seu próprio tempo de estudo.

O investimento é a partir de R$ 49,90 na primeira e segunda parcela e na terceira terá o desconto de 50% e mais 10% de assiduidade.

“Atualmente o mercado online tem crescido disparadamente. A educação a distância também em todos os 4 cantos do mundo, em Manaus já temos um número bem considerável com a procura de cursos 100% online e semipresenciais”, diz Cinara, que considera a tecnologia como um facilitador na área de ensino e aprendizado e como fator para o crescimento. “Temos acompanhamento com os tutores, professores mestres e doutores”.

Atualmente a Fametro possui um leque de oportunidades. “Temos modalidade para atender qualquer perfil, além do tradicional hoje oferecemos a aqueles alunos que não tem tempo para se fazer presente todos os dias em sala de aula. Um executivo, gostaria de fazer uma nova graduação, para ele, seria mais interessante ser semipresencial ou 100% online”, frisou.

Por dentro

Os dados do último CensoEAD.BR (Relatório Analítico da Aprendizagem a Distância no Brasil) realizado pela Abed, de 2017,  reforça ainda mais que o modelo é um grande atrativo e chegou para ficar. Houve um registro recorde de matriculados cerca de 7.773.328. O cursos que surgem como detentores são os de nível superior e de pós graduação lato sensu. O Censo da Educação Superior, realizado pelo Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), também confirma a tendência; enquanto o ensino presencial apresentou queda nas últimas matrículas, a EAD registrou uma alta de 17,6% de 2016 para 2017. Os alunos dessa modalidade são quase 1,8 milhão, ou 21,2% do total de matriculados em todo o Ensino Superior.

A conselheira da Abed, Ivete Palange, explica que a confiança na qualidade dos cursos a distância tem aumentado, pois a validade é a mesma do diploma dos cursos na modalidade presencial. “Os alunos de EAD costumam ser mais organizados em termos de estudo, mais autônomos, mais empreendedores e este perfil é de interesse da maioria das instituições”.

Nessa projeção, “a tendência para o futuro continua ser de crescimento”. Para Ivete Palange os cursos também tendem a ser híbridos, uma parte presencial e uma a distância. Ela garante que possivelmente, em um futuro próximo a educação será mencionada, sem a qualificação de a distância ou presencial. “O importante é oferecer aqueles que que querem aprender recursos diversos para que a educação aconteça com qualidade que seja presencialmente ou a distância. Um fator relevante de acordo com a conselheira, é a legislação que tem apoiado a modalidade de ensino. Os cursos têm também, se sofisticado oferecendo uma pluralidade de recursos como vídeos, animações, simuladores, realidade aumentada, realidade virtual, atividades interativas individuais e atividades em grupo.

Veja Também