Varejo

COMPARTILHE

E-commerce deve crescer até 20% durante Black Friday, prevê Rakuten

13 Nov 2018

Crédito: Divulgação

Junto com o Dia das Mães e Natal, a Black Friday já se consolidou como um marco no calendário dos lojistas brasileiros. Para 2018, a expectativa é de que o varejo online cresça entre 17% e 20%, segundo a Rakuten Digital Commerce - ecossistema completo de soluções para o e-commerce - quando comparado com o mesmo período do ano passado. Transportadoras, como a Total Express projetam um crescimento até maior, chegando a 40% na movimentação de cargas.

A companhia, que é subsidiária do grupo global de internet e comércio eletrônico Rakuten Inc., estima que o e-commerce deve faturar R$ 2,7 bilhões na data. "Com a definição do cenário político brasileiro, o otimismo criado se junta com a confiança maior do consumidor ao comprar pela internet. Além do aumento de uso das tecnologias antifraude, que proporcionam tranquilidade para o comprador e para o vendedor, as entregas estão cada vez mais rápidas e está mais fácil resolver problemas relacionados à compra, como produtos errados ou com defeito", explica René Abe, Presidente e CEO da Rakuten Brasil.
Mesmo com a instabilidade econômica do país nos últimos anos, as compras durante a Black Friday continuam apresentando crescimento, tanto que é esperado um aumento de 6% no número de pedidos, que pode chegar a um total de 4,5 milhões em 2018. Já o ticket médio deve ser de R$ 602, o que representa uma alta de 7% em relação a 2017.

"Hoje, já está claro para os comerciantes que os consumidores passaram a aproveitar esta época para antecipar as compras de final de ano. Observando essa e outras tendências, os varejistas estão buscando aproveitar ainda mais o momento para liquidar seus inventários e conquistar mais clientes: os descontos estão deixando de ser usados em um único dia e se dividindo ao longo de toda da semana ou até do mês de novembro inteiro. Afinal, no Brasil não basta alcançar o consumidor - é preciso alcançá-lo primeiro, antes que faça a compra em outro lugar", afirma Abe. "Essa movimentação no mercado é bastante benéfica para o consumidor, que tem acesso a uma diversidade de produtos com preço baixo por mais tempo", completa o executivo.

Em relação às categorias, eletro-eletrônicos e smartphones se mantêm como as mais buscadas pelos compradores. No entanto, a Rakuten Digital Commerce prevê que roupas e acessórios, calçados, cosméticos e livros também tenham destaque nas pesquisas por se configurarem como produtos de uso diário. Também estão entre as categorias mais desejadas produtos de casa e decoração, esportes e lazer, games e brinquedos.

Total Express projeta 40%

Já a Total Express, maior transportadora para e-commerce do país, está se preparando para um aumento de 40% no movimento da Black Friday este ano, em relação ao volume semanal atual, com a expectativa de ultrapassar a marca de 6 milhões de encomendas entregues nos meses de novembro e dezembro.
"Este crescimento de volume foi levantado com base em um minucioso planejamento realizado a quatro mãos pela equipe comercial junto com nossos clientes, que confiam em nossa capacidade de atendimento" afirma Marcos Efroin, diretor comercial da companhia.



Para garantir o bom funcionamento das operações desta Black Friday, a Total Express elaborou uma reavaliação da capacidade operacional de suas bases de Last Mile e a estruturação de um plano de expansão nas localidades com maior expectativa de crescimento.

Outra importante ação foi a análise da malha de transferência para buscar possíveis otimizações de prazo de entrega, incluindo a duplicação de frequência de envio nas principais rotas. Em seu HUB central e postos avançados foram feitas adequações tecnológicas e de mobiliário para atingir a plenitude de sua capacidade de processamento no período.

De acordo com estimativa do Google, 35% das pessoas já estão pesquisando sobre produtos que pretendem comprar na promoção, que deve movimentar R$ 2,43 bilhões, segundo levantamento da Ebit/Nielsen.

Veja Também