Opinião

COMPARTILHE

Dicas para Entrevista de Emprego

O que você tem passado numa entrevista?

Por Paula Pedrosa

28 Abr 2019, 11h03

Crédito: Divulgação

O mercado está voltando a aquecer. Ainda não estamos como antes da crise, mas as vagas de emprego estão surgindo mais, com os salários de uma forma ainda mais tímida, porém já mostrando um despertar na economia.

A entrevista é um dos pontos principais num processo seletivo, senão o principal, quando o entrevistador conversa presencialmente e pessoalmente com o candidato. No cenário que estamos vivendo, com vários profissionais concorrendo a uma mesma vaga, ainda mais importante se torna o seu desempenho durante esta etapa do processo seletivo.

Selecionei 5 dicas abaixo para melhorar sua performance na entrevista de emprego.

Estude a empresa

Muitas vagas hoje são tratadas de forma confidencial, ou seja, não se sabe para qual empresa é o processo seletivo no qual você está participando. Não se assuste, isso é normal. Porém, quando você souber a empresa a qual a vaga pertence, é muito bom que você invista uns minutinhos pesquisando sobre a empresa: pesquise o tempo de atuação, o segmento, se a empresa tem premiações ou mesmo alguma matéria recente que foi veiculada na mídia. Hoje com o Google fica bem fácil você ter várias informações em questões de minutos. Você também consegue essas informações enquanto aguardando na recepção. Leia os quadros de missão, visão e valores e informativos.

Essas informações farão você ficar na frente dos seus concorrentes no momento da entrevista, pois mostrando seu conhecimento prévio da empresa, você demonstra ser proativo, ir atrás de informações mesmo quando você não sabe, não ficar parado esperando algo chegar a você e você poderá transmitir a mensagem que a própria empresa busca transmitir, ganhando pontos. Essas características são algumas das que todas as empresas procuram em profissionais.

Vista-se de acordo com o nível de formalidade da empresa

Antes, quando se falava de vestimenta de trabalho, se falava de algo formal. Hoje em dia a resposta é: depende. Chamado de dress code, a forma de se vestir do profissional de hoje depende muito da empresa no qual ele está inserido.

Muitas pessoas acham besteira a questão visual, a vestimenta, mas posso afirmar que elas colaboram positiva ou negativamente em mais de 70% na sua entrevista. A partir dela, o entrevistador tira conclusões boas ou não sobre você, seu caráter, sua personalidade, sobre a forma como você trata a si mesmo, aos outros e ao trabalho que você vai executar.

Analise se a empresa que você está indo fazer a entrevista é formal, informal, despojada, enfim, se coloque da forma que a empresa demonstrar. Se estiver com dúvida se algo está demais, lembre-se melhor menos do que mais.

O importante é que você mostre através da sua vestimenta (e as roupas falam muito) que você é um profissional que tem responsabilidade, trabalha com seriedade e faz entregas positivas, com qualidade e no prazo estipulado.

Faça uma autoavaliação

Reflita sobre si. Quais foram seus maiores resultados durante sua carreira? Quais projetos você liderou ou participou que tiveram relevância para a organização e para você? Como você consegue contribuir para que a empresa tenha resultados positivos? O que a sua comunicação não-verbal está passando? E o que a comunicação verbal está passando?

Analise o mercado e sua atuação e veja como você se situa nele atualmente. Reveja questões como cargo, salário e principalmente postura. Lembre-se que o bom relacionamento é fundamental, bem como saber tratar as pessoas. Nem tudo se trata de questões técnicas, mas as comportamentais podem até sobrepor.

Aproveite esse momento para se preparar para perguntas sobre você, e também para melhorar pontos em si mesmo.

Durante a entrevista procure manter a postura ereta e evite cruzar os braços

A comunicação verbal é responsável por apenas 20% do que você diz, enquanto a não verbal, que não é dita, é responsável por 80% da sua comunicação.

O que você tem passado numa entrevista? Até a forma de sentar diz muito. Se você senta deitado na cadeira, passa a impressão de que é desleixado e de que não dá muito atenção a detalhes. Se você treme a perna o tempo todo, passa a sensação de estar com pressa e querendo que a conversa acabe logo. Se você cruza os braços, a impressão é de que você não está aceitando tal ideia, de que você está negativo ao que está sendo colocado.

A melhor forma de sentar é de forma ereta, gesticulando mãos e braços contidamente, movimentando o corpo e cabeça também de forma contida. Sorrisos e expressões faciais positivas também são muito bem-vindos.

Faça o rapport: tente acompanhar o entrevistador – se ele fala baixo, diminua o tom de sua voz, se ele fala rápido, tente falar um pouco mais rápido para que ele não se irrite com uma diferença tão grande da maneira dele de ser, tendenciando assim a finalizar mais rápido sua entrevista.

Preste atenção no vocabulário e não use gírias

São apenas 20% de comunicação verbal, mas super importantes. Antes de tudo, fale o português corretamente. Fale as palavras por completo, fale o “S” quando for plural, e se precisar usar um linguajar mais informal, sem problemas, mas fale corretamente. Cuidado com gírias e palavreados que podem não ser muito bem aceitos num ambiente corporativo.

A forma de falar é um hábito que também é adquirido com as pessoas com as quais você convive. Ou seja, o meio em que você está inserido conta bastante nesse quesito. De toda forma, você continua sendo o responsável por isso. Ler livros ajuda a enriquecer o vocabulário e falar de forma correta, mesmo que sejam livros simples.

Invista em si mesmo e na sua maneira de falar.

Agora, respire fundo, chegue no horário e boa entrevista!

Boa semana!

Fiquem com Deus!

Veja Também

Artigo

A vingança dos iconoclastas

28 Apr 2019, 11h10