Política

COMPARTILHE

Cem dias de união por uma causa comum, afirma Josué Neto

Por Caubi Cerquinho

18 Mai 2019, 08h57

Crédito: Divulgação

Para provar essa união na prática, o relatório que mostrou os cem primeiros dias da Assembleia Legislativa, foi elaborado a partir das informações prestadas por todos os 24 deputados que compõem hoje a Décima Nona Legislatura. Pela primeira vez, a Casa Legislativa destacou o trabalho de todos os parlamentares e não apenas do presidente como era de praxe. Para mostrar os primeiros cem dias, foi montada, na terça feira (17), toda uma programação especial que incluiu uma decoração visual (dois grandes banners, foram montados no plenário, atrás da Mesa Diretora), Sessão Especial com apresentação de vídeo, mestre de cerimônia lendo o relatório com as realizações de todos os deputados, convidados especiais, coquetel e uma entrevista coletiva do presidente Josué Neto(PSD). E é essa entrevista que o JC acompanhou que você vai ler agora. Para começar, o presidente começou respondendo aos jornalistas,  sobre a renovação da casa que foi de cinqüenta por cento.

JC - Qual avaliação o senhor faz sobre os novos deputados?

JN - Existe um sentimento da população que diz mais ou menos assim, que às vezes é melhor você conversar com pessoas que estão querendo aprender, do que conversar com pessoas que já sabem tudo. Então, às vezes, é muito mais fácil você conversar com pessoas que querem aprender e aqui nós temos deputados extremamente jovens, não só na idade, como também na vida pública, que estão nessa caminhada de querer aprender mas ao mesmo tempo também querer aplicar todas as funções dessa casa para que toda a sociedade ganhe, para que o Estado do Amazonas ganhe e  para que a vida das pessoas melhore. Quando se fala de renovação você fala de pessoas que vem também com um novo gás com novas ideias e também que querem muito poder aprender, que querem a cada dia junto com sua assessoria técnica entender melhor as necessidades do nosso povo.

JC – Qual a importância dessa união para a população?

JN -  A nossa data de hoje dos cem dias é justamente para demonstrar isso, uma Assembleia unida, que apesar de ter três ou quatro orientações políticas, mais de 15 partidos aqui representados, mas que a discussão é no campo das idéias. Nós não estamos aqui para criticar pela crítica nós estamos aqui para criticar para sugerir para encaminhar para requerer os benefícios da nossa população. Esse é o nosso recado de hoje, é o nosso sentimento. Nós vamos apresentar esses números. Foi realmente planejado uma apresentação assim de altíssimo nível,  de alta qualidade. Algo que a nossa imprensa ainda não teve acesso nenhuma vez em nenhum dos poderes nem demais instituições. Nos esforçamos bastante. O nosso Conselho de Comunicação, com três jovens, todos na faixa dos 30 anos trabalhou muito no sentido de fazer uma prestação de contas digna da Imprensa do Amazonas e digna do nosso povo Amazonense.

JC – Nesses cem dias, houve alguma bola fora?

JN - Acredito que não. Sou muito otimista. Eu sempre guardo as nossas boas realizações. Se existe alguma bola fora, os colegas aqui estão livres para falar. Mas temos a bola dentro que é o sentimento de união. A gente vê aqui o deputado Serafim esse prefeito de Manaus, Vereador dessa cidade, segundo mandato, extremamente experiente, e do outro lado o exemplo do Carlinhos Bessa  que vem de uma família de políticos, de uma escola política que é a escola do interior do Amazonas. Todos aqui trocando essas experiências para que os nossos trabalhos sejam sempre bola dentro.

JC – Presidente, como anda a questão da transparência?  Já se publica o gasto com a folha de pessoal na internet?

JN – Os gastos, são divulgados. Os nomes já são publicados. Então é necessário que eu saiba o nome do deputado Josué,  que não é o meu caso. Qualquer funcionário da casa, por exemplo, Maria de Jesus da Silva Teixeira se colocar esse nome vai se saber toda a vida da funcionária. Já é publicado,mas, ainda falta algumas adaptações. Nós estamos no caminho dessas adaptações. Já houve muito avanço nisso. Há 7, 8, 9, 10 anos ninguém nem tratava desse assunto e isso tem sido feito de acordo com os nossas com as nossas condições. Nós vamos  fazer isso, é uma questão legal. A Lei pode ser interpretado de diversas formas e a forma que nós estamos aplicando hoje a nossa transparência, nos transformou na quarta Assembleia Legislativa mais transparente do país. nós entendemos que nós estamos dentro da legalidade e isso é algo, é um processo de conquista nós vamos um dia chegar lá.

JC – Nesse período foram aprovadas 13 matérias. É pouco?

JN – Veja bem, nós estamos há 100 dias. São 3 meses e 10 dias. O rito legislativo é um  processo de produção intelectual. Então é muito comum, por exemplo, até mesmo essas matérias que tenham sido apresentadas em fevereiro março, elas virarem 2020 ainda sem estarem aprovadas, mas isso é algo que a gente tem conversado com os presidentes das comissões. Uma matéria passa por diversas comissões, por diversas análises. Então isso é algo que é extremamente comum em qualquer casa legislativa, seja municipal estadual ou federal e nós temos que compreender isso. É o rito normal. Nós temos os carros que dão 220 kms, mas só podem andar a 80. A diferença é exatamente  compreender que esse é o rito, o que nesse caso, a nossa velocidade, não quer dizer qualidade. Ao contrário, quem vai devagar chega aonde quer. Quando a gente avança e faz as coisas com rapidez você corre o risco de cometer erros.

JC - E as Comissões Permanentes da Casa?

JN – Nós entendemos que cada deputado tem a liberdade e a responsabilidade de conduzir os trabalhos em sua comissão. As pautas que são pertinentes. Independente da idade cada colega deputado tem a liberdade para conduzir o seu trabalho. Esse trabalho está sendo olhado  pela população. Não me coloco com tranquilidade para poder julgar o trabalho de qualquer colega.

JC – A Assembleia tem sido muito procurada pelas diversas categorias de servidor público?

JN – Nos últimos 10 anos a Assembleia  sempre tem sido o palco de manifestações como essa dos professores hoje. A  forma respeitosa com que a casa trata o servidor público não pode ser diferente,  porque o servidor público é o principal agente do bem-estar social. Senão fosse ele dificilmente haveria bem-estar social  e o bem comum. Quem proporciona isso de forma direta são os servidores públicos, são os médicos, enfermeiros, policiais, professores entre tantos. Essa é a forma com que a gente tem que tratar os servidores públicos porque são eles que estão no dia a dia recebendo as necessidades da nossa população.

JC – E a proximidade com a população,  como está sendo feita?

JN - O sentimento dos colegas deputados é o de estar cada vez mais próximo do povo. Nós estamos realizando nossas audiências públicas e nós estamos realizando as nossas reuniões fora de Manaus, também nos demais municípios do Estado. E isso é o início de tudo. Quando se tem uma boa vontade você tá aberto a realizar conquistas, quando você não tem boa vontade, você com certeza, não vai conquistar absolutamente nada. Então o primeiro passo é ter boa vontade. Acredito que essa asa através dos 24 deputados está tendo por vontade de estar próximo das pessoas, estar atento às necessidades e acima de tudo entender que poder público é isso em cada poder no caso o nosso legislativo tem essa missão que é de estar próximo das pessoas. Nós temos 24 deputados aqui que representam a capital, que representam os municípios, que representam a Educação, que representam os médicos,  que representam a Defensoria Pública, que têm como Bandeira a economia do Estado. Aqui eles defendem também as causas animais, a piscicultura, a produção, a polícia e a Segurança. Então, todos nós formamos esse conjunto, que representa bem a sociedade.

JC – As dificuldades fazem o senhor se arrepender de ser o presidente?

JN -  Não, pelo contrário. Eu me sinto muito feliz de tá podendo contribuir com esse avanço, ou pelo menos, não apoiar, e prejudicar mais ainda o estado. Se Com certeza nós tivéssemos aqui uma pessoa que escolhesse três ou quatro colegas deputados, para administrar a Casa, jogando todo mundo na água, com certeza o Estado estaria pior. Então a casa tem dado esses exemplos de união, de saber governar para todos, de saber administrar uma casa dando todas as ferramentas para que o colega possa exercer seu melhor mandato. A briga tá lá fora,quando chega aqui a gente sempre tenta transformar isso em paz. E é isso que me deixa  feliz. Por conta dessa contribuição e não a contribuição de colocar à frente eu em primeiro lugar, o Josué Neto em segundo lugar o presidente da Casa em terceiro lugar. Não, aqui é uma casa coletiva que todos 24 deputados têm prioridade para exercer o seu mandato. Até por que A Mesa Diretora da Casa, trata os demais deputados de mesma grandeza com o mesmo respeito entendendo que cada um de nós temos a nossa missão e a nossa função que foram outorgadas pelo portão Amazonense.

Veja Também

Frente & Perfil

Uma iniciativa inédita na Aleam

15 May 2019, 11h04