Gastronomia

COMPARTILHE

Calçada Alta também do lado de dentro da casa

Com a presença do chef Marco, os mais diversos serviços são prestados de forma personalizada

Por Evaldo Ferreira

10 Jul 2019, 21h25

Crédito: Evaldo Ferreira

Fazer comida em casa dá trabalho. Que dirá, então, se você quer dar um almoço, ou jantar, para amigos. Foi pensando em tirar das pessoas esse trabalho que ninguém quer ter, e ainda ampliar seus serviços e ganhos, que o empresário Marco Antonio Bento da Silva, o Marco Calçada Alta, criou o ‘Calçada Alta na sua casa’ e, tirando o trabalho que ele tem a cada novo pedido dos serviços, não tem do reclamar. Marco está desenvolvendo um segmento dentro do setor de gastronomia até agora pouco explorado.

“Eu fiz essa prestação de serviço, há algum tempo, na casa de um amigo. Ele queria um buffet diferenciado daquele servido aqui no restaurante, um cardápio de alto padrão, e o principal, que eu estivesse presente, coordenando tudo isso. Foi então que percebi existir esse tipo de cliente, que paga mais, mas quer um atendimento personalizado”, contou.

Marco é personagem conhecido, e conceituado, no cenário gastronômico de Manaus, herdeiro do português Antonio Silva, fundador do restaurante Calçada Alta há 30 anos. O Calçada Alta acabou por se transformar em referência gastronômica portuguesa na cidade, com bolinhos de bacalhau como entrada, postas de bacalhau entre os pratos principais, e doces típicos de Portugal. Com os ensinamentos recebidos de Antonio Silva, Marco manteve o cardápio, que o pai nunca quis mexer, e o ampliou, regionalizando-o com peixes amazônicos, além de dobrar o tamanho do restaurante e abrir uma segunda casa, no Parque Dez de Novembro. Agora, com o ‘Calçada Alta na sua casa’, Marco investe noutro caminho.

O diferencial é a presença de Marco

“Não podemos perder a oportunidade para novos negócios, ainda mais quando se trata de algo novo, praticamente inexplorado e com demanda reprimida”, ensinou.

Os serviços oferecidos por Marco não se restringem somente ao cardápio do restaurante, mas a tudo quanto possível o cliente deseje.

“Levo todos os meus equipamentos e apetrechos de trabalho: fogão, chapa, forno, panelas, louças, mesas, toalhas, rechaud, freezer, garçons, músico voz e violão, e gente para a limpeza, lógico, não tudo isso junto. Tenho vários pacotes e o cliente é quem vai escolher o que deseja. De acordo com suas necessidades, vejo o que será necessário levar para que o evento dele seja um sucesso e todo mundo saia satisfeito e feliz”, disse.

“O diferencial desse serviço que presto é eu estar presente no evento, preparando todas as comidas. Levo comigo mais um chef e um assistente. Vai do cliente escolher um serviço mais simples ou algo grandioso. Todos vamos uniformizados, chefs e garçons”, explicou.

“O cliente só precisa dizer a hora em que ele quer que a comida seja servida. Dito isso, chegamos horas antes, preparamos tudo e na hora certa, a comida estará pronta. Após todo mundo ter comido, encerramos nosso trabalho. Se o cliente quiser o serviço de limpeza e arrumação do após o evento, também disponibilizamos esse profissional”, lembrou.

“Um dos eventos que servi atendeu 600 pessoas. O maior até agora. Foi para uma igreja, mas imagine o que é atender a 600 pessoas e ter que agradar a todos, ou ao menos a grande maioria. É uma coisa de louco. Você precisa se esmerar ao máximo para que não haja reclamação. Felizmente não houve”, riu.

“Outro detalhe, importantíssimo, que faço questão de frisar: só sirvo os melhores produtos, carnes, peixes, temperos e condimentos, que o cliente pode atestar antes de seu evento. Nosso azeite é importado de Portugal”, revelou.

“O cardápio, também, é bastante variado e é o cliente quem escolhe. Não precisa ser, necessariamente, o mesmo do restaurante. Disponibilizo nossa matéria-prima: bacalhau, frutos do mar, peixes regionais, filé, massas, entradas e doces para a sobremesa. As bebidas vão da água ao vinho, este, sempre importado de Portugal, afinal, mantemos a tradição do Calçada Alta. Mas o cliente pode solicitar a bebida que quiser”, garantiu.

Uma calçada alta na Costa Azevedo

“Já existem outros donos de restaurante, em Manaus, que estão prestando os mesmos serviços, cada um com suas especificidades. O importante é deixar o cliente satisfeito. O ‘Calçada Alta na sua casa’ está atendendo uma média de um cliente por semana, mas ainda temos espaço para mais, principalmente porque agora irei investir nas empresas, nas suas reuniões para executivos”, adiantou.

Em junho o Calçada Alta completou 30 anos, consagrado em Manaus pelos serviços e cardápio. O restaurante se destaca na rua Costa Azevedo, exatamente pela calçada alta à sua frente.

“Essa parte da calçada sempre foi alta, por isso a mantivemos. Meu pai e minha mãe começaram com uma simples lanchonete, a Doce Sabor, e morávamos aqui mesmo. Em junho de 1989 o meu pai resolveu transformar a lanchonete no bar e restaurante Calçada Alta”, recordou.

Outro fato que marcou o restaurante foi a Banda do Calçada Alta, que nos carnavais da década de 1990, fechava boa parte da Costa Azevedo.

“No próximo mês estou pensando em organizar uma grande festa, também fechando a rua, com muita música e barracas de comida organizadas por outros chefs, para comemorar os 30 anos do Calçada Alta. Aguardem”, finalizou.