COMPARTILHE

Borracha da Amazônia Legal supre Amazonas

Produção da Neotec destina-se às indústrias instaladas na Zona Franca de Manaus

Por Jornal do Commercio

15 Dez 2014

 

A partir de fevereiro de 2015 os oito Estados que integram a Amazônia Legal, além do Amazonas, devem suprir a demanda local do consumo da borracha natural do Estado. A matéria-prima será utilizada pela fabricante de pneus Neotec, empresa do grupo Levorin, instalada em Manaus. Até o primeiro semestre deste ano 10% da borracha que atendia ao setor industrial era importado da Malásia, Indonésia e países africanos.

No próximo ano, a empresa aumentará sua demanda pelo produto, porque iniciará novas atividades na produção de câmaras de ar para pneus de motocicletas, cujo projeto está em fase de apreciação pela Suframa e está previsto para ser referendado na próxima reunião do CAS (Conselho Administrativo da Suframa), com data a ser definida pela autarquia.

O projeto dá continuidade aos processos produtivos existentes na Neotec que consistem na fabricação de pneus para motocicletas e bicicletas. Há três meses a empresa iniciou a produção de câmaras de ar para pneus de bicicletas e agora, investe em câmaras de ar para motocicletas. Com a nova produção a empresa espera obter um aumento inicial de 5% em seu faturamento.

O membro do conselho administrativo da Levorin e sócio da Neotec, Auro Levorin, explica que o novo processo fabril vai demandar um aumento de 20% no consumo da borracha, matéria-prima substancial para a confecção dos produtos. Ele afirma que 100% da borracha utilizada na industrialização é extraída no Amazonas e nos demais Estados que compõem a Amazônia Legal, que são: Acre, Amapá, Pará, Rondônia, Roraima, Tocantins, Mato Grosso e Maranhão. “A ideia é aumentar o consumo da borracha natural extraída na Amazônia. Atualmente compramos cerca de duas mil toneladas de borracha anualmente. Damos prioridade ao produto dessa região em cumprimento ao compromisso que temos com os Governos Estadual e Federal”, ressalta.

A partir de fevereiro a indústria passa a operar com quatro linhas produtivas. O novo processo deve contar com dez colaboradores. O administrador avalia que a instalação da empresa na capital resultou na geração de 600 empregos diretos e 1,8 mil indiretos. A empresa ainda desenvolve um trabalho social de incentivo à extração do látex para a produção da borracha natural, iniciativa que beneficia 2,8mil famílias. “Operamos em três turnos. A linha produtiva de câmaras de ar para motocicletas deve iniciar em um turno, com possibilidades de mudanças, conforme o aumento no volume produzido”, cita.

De acordo com Levorin, as máquinas e equipamentos que devem ser utilizados no processo estão em fase de instalação, trabalho que será concluído até o final deste mês. Já o processo de industrialização das primeiras peças está confirmado para o mês de fevereiro. “Começaremos com uma produção de aproximadamente 20 toneladas mensais”, adianta.
A Neotec/Levorin é a única fabricante instalada no Amazonas que fornece o conjunto de pneus e câmaras para empresas do polo de duas rodas como Moto Honda da Amazônia, Yamaha Motor Company, Dafra Motos, Caloi e Prince Bike Norte Ltda.
Segundo a assessoria de comunicação da Suframa, ainda não há uma data definida para a realização da próxima reunião do CAS. A autarquia aguarda o posicionamento do MDIC (Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior).

Programa de fomento
Com o objetivo de fomentar a cadeia produtiva da borracha, a ADS (Agência de Desenvolvimento Sustentável), órgão do Governo do Estado, desenvolve política de estímulos à extração do látex a partir do Programa Estadual de Valorização da Cadeia Produtiva da Borracha Natural. Atualmente o programa governamental beneficia 2,5 mil pessoas distribuídas entre 25 municípios, entre os estímulos, está um subsídio de R$ 1 pago por cada quilo da borracha natural aos seringueiros. Esse valor é pago desde 2011.

O diretor de negócios florestais da ADS, Jardel Luzeiro, explica que os seringueiros residentes nos municípios fazem um levantamento com uma estimativa de quanto vão produzir durante um determinado período. Esse planejamento é repassado à ADS por meio da associação existente em cada município. “No momento estamos efetuando os pagamentos referente a 2013/2014, tendo em vista que a safra ocorre anualmente no período de junho a janeiro”.

Luzeiro disse que a produção total de borracha programada para este ano é de 2 mil toneladas. Fazem parte do programa as seguintes cidades: Borba, Nova Olinda do Norte, Novo Aripuanã, Manicoré, Lábrea, Pauini, Boca do Acre, Humaitá, Eirunepé, Envira, Carauari, Itamarati, Juruá, Itacoatiara, Urucará, São Gabriel da Cachoeira, entre outros.

“O trabalho nessas comunidades é de capacitação e de construção estrutural. Fornecemos os materiais necessários para a coleta do leite”, disse. “O município de Borba anunciou a produção de 41 mil quilos de borracha somente para este ano”, complementou.

Veja Também