Varejo

COMPARTILHE

Benefício da antecipação do 13º pelo INSS anima mercado local

Por Marco Dassori

27 Ago 2019, 11h51

Crédito: Acervo JC

A antecipação da primeira parcela do 13º salário para os aposentados e pensionistas do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) anima o comércio varejista de Manaus e do Amazonas, embora a maior parte dos lojistas já conte com boa parte do dinheiro sendo priorizado para a redução da inadimplência em detrimento da expansão dos consumos. 

Os pagamentos começaram a ser liberados nesta segunda (26), em um calendário que se estende até 6 de setembro. O Estado conta com 336.106 beneficiados que receberão um total de R$ 541,85 milhões, conforme dados fornecidos pelo INSS. Em Manaus, o número pessoas que contarão com o repasse é de 180.346, totalizando mais de R$ 337,97 milhões. No Brasil, serão injetados R$ 21,9 bilhões para cerca de 30 milhões de pessoas. 

A antecipação foi feita por medida provisória, assinada no último dia 5, mas o governo federal anunciou que deve converter a iniciativa em lei para os próximos anos. O benefício inclui todo brasileiro que, durante o ano, tenha recebido auxílio-doença, auxílio-acidente, aposentadoria, auxílio-reclusão ou pensão por morte e demais benefícios administrados pelo INSS. O pagamento será feito diretamente na folha do beneficiário.

A injeção de recursos vem em boa hora para o setor, cujo volume global de vendas seguiu trajetória de recuperação em junho. O crescimento em relação a maio foi de 0,8%, abaixo da marca anterior (+2%). Na comparação com junho de 2018, a elevação chegou a 5,8% e os acumulados do semestre (+1,6%) e dos 12 meses (+1,4%) também fecharam no azul.

Mas, desempenho o varejo ampliado – que inclui material de construção e veículos e seus assessórios – ficou abaixo da média do setor. A alta não passou de 0,1% entre maio e junho, com altas de 5,5% em relação ao mesmo mês do ano passado, de 3,5% no semestre, e de 5,3% no aglutinado de 12 meses.

“Esse recurso, assim como o FGTS, vai melhorar muito a vida do setor e irá diretamente para o consumo. Uma parte será revertida para pagamento de dívidas, mas acredito que a situação de endividamento e inadimplência melhorou nos últimos meses. E quem limpar seu nome vai poder consumir também”, comemorou o presidente da ACA (Associação Comercial do Amazonas), Ataliba David Antônio Filho.

“Calendário próprio”

Para o presidente em exercício da Fecomercio-AM (Federação do Comércio de Bens, Serviços e Turismo do Estado do Amazonas), Aderson Frota, diante do atual marasmo dos indicadores setoriais, qualquer liberação de recurso que aumente a liquidez da economia brasileira será positiva para o setor.

“Acho até que já era para ter sido liberado antes. Mas, entendo que o governo federal tem seu calendário próprio. Acredito que a maioria dos beneficiados  vai aproveitar para pagar as dívidas, principalmente as mais antigas, embora uma parte considerável deva ir para o consumo. De qualquer forma, é uma medida que vai ajudar a circular moeda e fazer a economia funcionar”, avaliou.

Esteio da família

O presidente da FCDL-AM (Federação das Câmaras dos Dirigentes Lojistas do Amazonas), Ezra Azury, também ressaltou que o 13º dos aposentados e pensionistas do INSS é muito bem vindo pelos empresários do comércio varejista do Estado, tanto da capital, quanto do interior.

“Acreditamos que o benefício pode vir a impulsionar as vendas. Só lembrando que também existem muitos aposentados que são o esteio de família. Ou seja, são a maior ou única renda que tem dentro de uma casa. E muitos deles estão endividados. Acreditamos que boa parte deve vir para consumo e o restante para liquidação de débitos”, arrematou Ezra Azury, da FCDL-AM.  

Veja Também