Carreiras

COMPARTILHE

Arquitetura conquista espaço para projetos diferenciados

Por Andréia Leite

01 Set 2019, 18h11

Crédito: Acervo JC

Toda grande, média ou pequena obra, exige um planejamento. Independente do tipo de projeto, o acompanhamento de profissionais para tocar o processo de construção requer um gerenciamento que vai além, meramente, de erguer um imóvel. Com base no tipo de obra desejada, o arquiteto é o profissional capacitado para participar de todo esse procedimento.

A arquiteta e urbanista, especialista em arquitetura de interiores, Cris Sotto Mayor,  resume que o profissional da área é um artista e como todo artista deve ver arte e design com outros olhos, deve conhecer lugares, todos que forem possíveis, deve conhecer novas tecnologias construtivas, novos materiais, tudo em busca do seu diferencial.

Formada há 20 anos, ela conta que a carreira trouxe grandes oportunidades, mas de cara entrou para o grupo executivo do Plano Diretor e começou a estudar, observar e planejar a cidade, seus objetos arquitetônicos, seus equipamentos urbanos. “Observar a paisagem urbana e pensar na cidade do amanhã, controle e ordenamento, todos foram importantes itens que estruturam a minha formação até o que sou hoje”. 

Cris Sotto Mayor disse que a carreira trouxe muitas oportunidades

Ela possui um escritório desde 2002, e atua em todas as fases desde a análise de potencial construtivo de um lote, até a conclusão da obra. 

Um campo em expansão é o design de interiores. Nele, o profissional responde pela projeção, montagem e organização de ambientes internos, levando em conta aspectos como iluminação, ventilação, ergonomia, cores, posicionamento do mobiliário e movimentação de pessoas. Na outra ponta a área de decoração também responde bem em face à crise. O talento para trabalhar a proposta conceitual e estética de casas, restaurantes, shoppings, jardins, lojas e espaços corporativos continua a demandar bastante mão de obra de arquitetos.

Cris pontua que surge uma dificuldade a mais na área para o Arquiteto de Interiores que é confundido com o Designer de Interiores. “As pessoas confundem as atribuições de cada um conforme sua necessidade de contratação”.

Diferença: O Arquiteto de Interiores pode executar a decoração de um determinado imóvel preocupando-se com a cromatização, forma, texturas, luminotécnica, acústica, ergonomia, assim como pode executar também todas as reformas necessárias, como demolir e reconstruir paredes, executar ampliações, lajes, coberturas, fechar varandas, rever todas as infras de energia, hidro sanitária e lógica, dentre algumas disciplinas, sempre mantendo a segurança, estabilidade da edificação, além de obedecer ao regramento jurídico que rege os parâmetros urbanísticos da edificação. Já o designer de interiores, possui as mesmas atribuições porém não podendo interferir na questão estrutural da edificação e de suas infraestruturas.

Roberto Moita desenvolveu diversos projetos reconhecidos em Manaus

Muito além do projeto

No campo da arquitetura, urbanismo e paisagismo, há 32 anos, Roberto Moita, 56, comemora a assinatura em vários projetos urbanos, arquitetônicos históricos e paisagismo em diversas frentes. Atualmente se dedica a dois nichos fundamentais; uma linha de pesquisa de arquitetura ligada às raízes e os fundamentos da Amazônia e de um outro lado a um mercado corporativo de empreendimentos com uma arquitetura voltada para melhoria de inovação nos negócios.

Ele ressalta que a arquitetura não é uma profissao facil. Aliás, é uma carreira que se estuda a vida inteira. É uma profissão que exige muito tempo para maturação tanto que no padrão internacional até 40 anos é considerado jovem arquiteto. 

Ele assegura que as principais tendências é exatamente de uma definitiva digitalização dos projetos e considera isso irreversível. “O futuro é esse. De muita diversificação de campo de trabalho. O futuro auspicioso, eu entendo que o arquiteto tem uma função social importante precisa ter uma capacidade de ouvir, empresas, pessoas a comunidade porque o nosso trabalho não é apenas para pessoas físicas é também para  sociedade em geral (planejamento urbano). E então, a relevância e a função social da nossa profissão cada dia mais fortalece e tende a definir como algo importante. O papel da arquitetura na construção de uma civilização e da prosperidade justa e sustentável para todos”.  

Entre o que há de mais moderno na arquitetura especificamente de residências, Moita esclarece que o conforto ambiental natural e a economia de energia são os novos luxos.  Natureza e sustentabilidade são os temas relevantes da contemporaneidade em arquitetura.

Não esquecendo da sustentabilidade como pano de fundo para projetos cada mais ousados, ele menciona a inclusão de inteligência construtiva com o uso de sistemas de construção a seco, sem desperdícios e mais rápidos. “Com o uso de sistemas de aproveitamento de água e geração de energia própria. E finalmente com a adição de arborização entorno das edificações que favorece a criação de microclimas, melhora a temperatura e umidade”. 

Ele faz uma consideração importante: Contratar um arquiteto aumentam as chances de ter uma obra confortável, econômica e bela.

Tendências 

Cada vez mais tecnológica, onde arquiteto e cliente possam fazer com muito mais facilidade a ponte entre desejo e conquista. As ‘smart cities’ (cidades inteligentes) já são uma realidade. É a profissão do arquiteto urbanista acompanhando as novas gerações rumo ao futuro.

O movimento das “Tiny houses” toma conta do mundo, o custo do M2 para habitar está cada vez mais caro e cabe ao arquiteto pensar em como aproveitar 100% dos espaços.

Os projetos devem ser cada vez mais inclusivos, pensar no todo, na cidade, na calçada.

A sustentabilidade em alta, a casa deve ter painéis fotovoltaicos, nem pensar em não usar lâmpadas de led, reaproveitamento de água, permeabilidade, automação, todos são conceitos que o arquiteto que está no mercado deve com muita criatividade e técnica, embutir em seus projetos.

Carreira mapeada

Área de atuação 

O arquiteto pode transitar por diversas áreas de atuação no mercado. Dentro das principais estão desenvolvimento de projetos para casas e edifício, planejamento e gerenciamento de reformas, execução e acompanhamento de obras, paisagismo, design de interiores, decoração e ainda desenho de móveis sob medida.

Média salarial 

Segundo a legislação que rege a profissão do arquiteto, está baseado inicialmente em 6 salários mínimos para uma carga horária de 6h, podendo subir proporcionalmente conforme o aumento de horas trabalhadas, porém no mercado ainda existem faixas de contratação, indo do arquiteto trainee ao arquiteto sênior.

Perfil

O arquiteto precisa estar antenado a toda e qualquer nova tecnologia e software que facilite seu dia a dia, hoje a prancheta do arquiteto é o computador.

Onde estudar

De acordo com as diretrizes do Ministério da Educação (MEC), o curso de Arquitetura e Urbanismo, tem duração de 5 anos. O curso pode ser encontrado na UFAM, UEA e também em faculdades de ensino privado.

Veja Também

Guia JC

Ekena e Adriana Calcanhoto no GUIA JC

30 Aug 2019, 20h52