Trabalho

COMPARTILHE

Apps de transporte priorizam segurança para interromper violência

Por Andréia Leite

11 Set 2019, 09h09

Crédito: Andréia Leite

Com o número de assaltos cada vez mais frequentes a motoristas de aplicativos de mobilidade em Manaus, as empresas têm investido massivamente em novas ferramentas para gerar mais segurança a categoria e aos passageiros.

O Jornal do Commercio entrou em contato com uma das maiores empresas que detêm esse mercado, a Uber, para comentar o que tem sido feito para coibir esse tipo de ocorrência e garantir a segurança nas viagens pelo app. A empresa afirma que a segurança é prioridade e por isso segue aprimorando constantemente as novas tecnologias dentro de uma plataforma mais segura. 

Ela passou a adotar no Brasil o recurso de machine learning, que usa a tecnologia para bloquear viagens consideradas mais arriscadas. Esta ferramenta usa algoritmos que aprendem de forma automatizada a partir dos dados e bloqueia viagens consideradas potencialmente mais arriscadas, a menos que o usuário forneça detalhes adicionais de identificação. A empresa lançou, também, uma ferramenta que reúne os recursos de segurança para motoristas parceiros, inclusive um botão para ligar para a polícia em situações de risco ou emergência diretamente do app.

Além disso, o aplicativo exige do usuário que quiser pagar somente em dinheiro que insira o CPF e data de nascimento, dados que são checados na base de dados do Serasa .Todas as viagens são registradas por GPS, o que permite que a Uber colabore com as autoridades, nos termos da Lei, em caso de necessidade, e o motorista também pode compartilhar a localização, o trajeto e o horário de chegada, em tempo real, com quem desejar. O aplicativo permite, ainda, que solicitações de viagens sejam canceladas por motoristas parceiros quando não se sentirem seguros. 

Por fim, os profissionais contam com um número de telefone 0800 para registrar e solicitar apoio da Uber depois que tiverem comunicado incidentes às autoridades e estiverem em segurança - por exemplo, no caso da necessidade de acionar o Seguro para Acidentes Pessoais que cobre todas as viagens.

Botão de emergência

Na mesma direção, a empresa 99, como forma de manter o serviço em constante evolução, o aplicativo, que tem como um dos principais focos a segurança de seus usuários, anuncia novo recurso, o botão de emergência para motoristas. 

A função já existe para passageiros desde o ano passado e, recentemente, passou por atualizações que melhoraram a interação dos usuários e condutores com o aplicativo. Agora, o motorista também pode compartilhar a sua rota com qualquer contato de sua lista telefônica por meio de WhatsApp e Messenger, com abertura do link diretamente da área que contém os dados do veículo, em complemento a opção pelo navegador de internet.

A inclusão de contatos de confiança é outra novidade permitida pela ferramenta. Com ela, será possível adicionar os números de até cinco pessoas para falar rapidamente com família e amigos, caso necessário. Para motoristas que possuem câmera no automóvel, o botão sinalizará de maneira mais clara se a câmera está ativa e gravando.

“O recurso adiciona mais uma camada de proteção ao motorista”, comenta Thiago Hipólito, Diretor de Segurança da 99. “O foco da iniciativa é agir rapidamente em qualquer situação  de emergência”.   

A 99 possui uma equipe especialmente dedicada em segurança composta por mais de 100 pessoas, incluindo ex-militares, engenheiro de dados e psicólogos, trabalha 24 horas por dia, sete dias por semana, cuidando exclusivamente da proteção de motoristas e passageiros.

O aplicativo usa tecnologia para focar especialmente em prevenção. Entre as soluções desenvolvidas estão o reconhecimento facial, câmeras instaladas nos veículos, inteligência artificial que monitora todas as chamadas, mapeamento de áreas de riscos, machine learning para rastrear casos de assédio, rodas de conversas e cursos online para uma conduta de respeito e tolerância, além do canal de atendimento exclusivo de segurança pelo 0800-888-8999.

Para o especialista em segurança pública para o trânsito, Haniery Mendonça, é de suma importância trabalhar a questão de investimentos nessa área por questão de segurança. Já que a empresa está oferecendo esse tipo de serviço, ele precisa ser de extrema seguridade para ambas as partes. “Porque você sabe que com falhas na questão da segurança existem algumas pessoas que podem se aproveitar e utilizar determinadas situações para fazer coisas erradas como assaltos, sequestros, assassinatos.

Risco iminente

O presidente da (AMPLIC) Associação dos Motoristas de Aplicativos do Amazonas, Alexandre Matias,comenta que os frequentes assaltos a motoristas tem feito muitos desses, mudarem de rota e de horário. Entre os destinos mais perigosos estão Jorge Teixeira, Ramal do Brasileirinho, Santa Etelvina,  Compensa e São José. Estamos evitando. “Mas independente de bairros, nós estamos reféns porque praticamente esse meliantes migraram do transporte coletivo e passaram a assaltar a categoria. 

Ele contesta sobre os investimentos constantes nas plataformas e afirma que este ano ainda não houve nenhum treinamento dos respectivos apps envolvendo a segurança dos motoristas. “Quando nós fomos cadastrados há quatro anos, toda semana havia treinamento para novos motoristas sobre segurança, sobre como operar o aplicativo e de como tornar a viagem mais segura para motoristas e passageiros”. Para ele, é um investimento mínimo disponibilizar um profissional de segurança para passar essas coordenadas para o motorista. 

“Aliás, esse profissional está se aperfeiçoando por conta própria, através de ferramentas baixadas, através de reuniões semanais organizadas pelos motoristas nos seus grupos”.

Outro ponto questionado pelo presidente da associação é a falta de um item na legislação que permitisse que o profissional se sentisse mais seguro. “Em todas as sessões e votações isso foi ignorado. Um dos itens propostos pelo líder da categoria, seria a identificação do passageiro por meio de foto e o aumento da taxa de cancelamento dos motoristas para garantir a segurança deles. 

Conforme Matias, alguns vereadores estão se reunindo para tentar acrescentar algum item  de segurança na regulamentação antes que o Prefeito sancione a lei do transporte por aplicativo na cidade (lei nº 2.468/2019).

Mais segurança

O vereador Chico Preto informou, da tribuna da Câmara Municipal de Manaus (CMM) a fim de criar um instrumento dentro da plataforma que possibilite aos motoristas terem acesso às informações dos clientes.

O parlamentar lembrou que durante a discussão do projeto de lei que regulamentou os aplicativos na CMM, apresentou uma emenda neste sentido, mas que a mesma foi rejeitada. Segundo Chico Preto, o assassinato do motorista Higson Cavalcante Ramos no último final de semana é a prova de que é necessária a criação do dispositivo. Higson foi assassinado com seis facadas e seu corpo foi encontrado no ramal do Brasileiro, na Zona Leste, na sexta-feira (6).

“Esse caso gerou uma comoção muito grande na cidade de Manaus e não poderia passar despercebido por mim, porque lembro-me da discussão em torno da regulamentação dos aplicativos onde aqui na CMM pude defender a necessidade da criação de um instrumento para que o motorista tenha a possibilidade de reconhecer a face do seu passageiro. Hoje isso não é permitido ao motorista. A segurança que é um direito do passageiro não é do motorista. As empresas alegam coisas que não me convencem e não permitem que os motoristas reconheçam e optem por pegar ou não quem faz a solicitação de corrida”, destacou.

Durante a discussão do projeto de lei que regulamentou o transporte por aplicativo em Manaus, o vereador Chico Preto apresentou 12 emendas ao texto original enviado pela Prefeitura, sendo o parlamentar que mais buscou aprimorar a matéria.

Veja Também