COMPARTILHE

Amazonas ganha força no mercado de cerveja artesanal

Por Andréia Leite

06 Ago 2019, 11h18

Crédito: Andréia Leite

Manaus tem apresentando um grande potencial quando o assunto é cerveja artesanal. A região Norte possui 26 fabricantes de cervejas com essa proposta.  Elas surgem com sabores diferenciados, com tipos, texturas, aromas e sabores regionalizados, fugindo totalmente do conceito tradicional e desta forma, apresentam produtos de alta qualidade. 

O setor registra números consideráveis de crescimento no país. Dados do Mapa (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), apontam que em 2010,  o mercado de cervejas artesanais representavam 0,7% da produção nacional. Atualmente, elas já somam 1,2%. até 2018, houve um crescimento de 23% no número de cervejarias artesanais no país. O estado do Rio Grande do Sul  é o primeiro colocado, com 179 cervejarias.

A Tucan Brew, surgiu da paixão pelo empreendimento Amazônico e o sonho de proporcionar uma experiência de consumir produtos exclusivos e diferenciados. “Nossa proposta é levar a riqueza do Amazonas para o mundo. A Amazônia deve ser reconhecida como riqueza da humanidade, agregando valor a vida das pessoas e não só como souvenir. Além de oferecemos uma experiência de sabores e impacto visual, algo que nos faz sobressair entre os concorrentes, entendendo as necessidades dos nossos clientes oferecendo valor a vida deles”, Sidarta Pinheiro de Araújo, proprietário do grupo e representante do segmento. 

A empresa lançou recentemente dois produtos com ingredientes regionais. Uma a base de camu-camu e  Cabocla, do tipo IPA com bacuri. A cervejaria possui outros sabores que já fazem parte da carta de cervejas, como a Witbier de araçá-boi, Tucana - Pilsen Premium, Caciquinho - White Ipa e outros dois estilos que em breve serão inseridos nas opções com sabores de maracujá do mato e biribá.

O o diretor e cervejeiro da Cervejaria Rio Negro,  Bruno Silva, concorda que o mercado está em expansão. Fator que fez a cachaçaria ampliar a frota de veículos em duas vans 0km e quatro tanques de fermentação. Um deles de 20 mil litros e dois de mil litros. Esses de mil litros é pensando em atender as cervejarias ciganas. ( cervejarias que não tem planta própria ou espaço para crescer e fazem suas cervejas em outra cervejaria). Ele conta que novos negócios como bares e até uma escola especializada no assunto são prova do aumento do interesse e do mercado de cervejas artesanais.

“Especificamente no estado ainda temos poucas opções em cervejaria. Como cervejeiro meu sonho seria ter pelo menos 3 ou 4 vezes mais. Acho incrível degustar cervejas inéditas e tentar compreender o que o cervejeiro quis transmitir nesse produto. Bares e restaurantes sem cervejas artesanais são cada vez mais raros em Manaus”. 

O mestre cervejeiro, Herbert Pires, proprietário da Cervejaria Mahy, inaugurada há pouco mais de um ano, avalia que o mercado tem grande potencial, mas que ainda está engatinhando, se comparado a outros estados. E para ampliar os negócios ele conta que está investindo 20% da capacidade, além de uma linha de envase em garrafas, previsto  para iniciar no mês de outubro. Ele garante que a bebida artesanal atrai o consumidor por ser um produto que diferencia das marcas comerciais. “Mas ainda tem um longo caminho. O segmento tende a crescer ainda mais. Apesar de um mercado ainda pequeno a tendência é deslanchar e tornar-se cada vez mais atrativo”.  

Guia para os cervejeiros

Essa proposta tem avançado e inserido o Amazonas em grandes rotas de eventos neste mercado. Como o Amazonas Beer Festival evento que tem como proposta reunir especialistas do setor e público em geral para a troca de experiências, além de promover shows musicais e workshops sobre o tema. O Festival começou na última quarta-feira (31) e segue até 11 de agosto, no Amazonas Shopping, na Praça de Eventos da Expansão, sempre a partir das 14h.

Neste ano, estarão participando as cervejarias Mahy, Rio Negro, Taverna, Porto de Lenha, Brew Shop e Wienbier, que estarão lançando novos produtos e apresentando as cervejas que o público mais aprecia.

Como novidade, a cervejaria Rio Negro estará lançando dois chopps, o Coffee IPA e Stout com café AHA Zezé Cecília. Já a cervejaria Mahy lançará no evento uma cerveja Sour de acerola. O preparo desta cerveja é feito com dois tipos de fermentação, láctea e alcoólica e faz parte do estilo criado no Brasil, o Catarina Sour.

Segundo o mestre cervejeiro Patrick Gomes, Manaus segue a tendência nacional e apresenta crescimento no setor. Prova disso, diz ele, é o surgimento de novas cervejarias e a consolidação no mercado de marcas locais.

Além do número de cervejarias, Patrick ressalta que é evidente o aumento de consumidores desse tipo de bebida. “Esse cenário é impulsionado pela diversidade de estilos de cervejas que são lançadas no mercado, que atende a necessidade de cada público, seja os que preferem cervejas mais amargas, mais alcoólicas ou leves”, ressaltou.

Na sexta-feira, Dia Internacional da Cerveja, a Porto de Lenha lançou a Weivendier Beer, uma cerveja com aroma de banana e cravo.  Na Brew Shop o público pode degustar de 12 tipos de cervejas artesanais de marcas consagradas no país. A cervejaria também fará quatro lançamentos de produtos durante o evento.

 

Veja Também